Mãe busca recursos com vaquinha online para realizar cirurgia da filha

A mãe, Thayana, conta o drama vivido pela família

A pequena Maria Eduarda Zimmer possui uma síndrome ainda não descoberta por seus médicos. Ela nasceu com a bacia desproporcional e os pés congênitos. Com oito meses de vida, já passou por uma cirurgia e logo deve passar por outra, desta vez no quadril. Essa cirurgia custa em torno de 30 mil reais, para angariar os recursos que custearão a cirurgia, os pais de Maria Eduarda, Thayna Custódio Cocença e Marcos Paulo Zimmer, criaram uma vaquinha online, que arrecadou apenas pouco mais de 1,700 reais.
A mãe, Thayana, conta o drama vivido pela família. “Tive uma gestação ótima, tranquila. Fiz todos os exames e consultas. Logo no início os médicos descobriram que ela tinha os pezinhos tortos (pê congênito). Quando entrei na 34ª semana de gestação, parecia estar tudo certo, quando minha bolsa rompeu. Fui as pressas para o hospital, como era meu primeiro filho não sabia o que fazer. Fiquei bastante tempo na sala de triagem, perdi bastante líquido, tive que fazer uma cesariana de emergência e de risco”, conta
Após os procedimentos cirúrgicos do parto, Thayna não ouviu a pequena chorar, e assustou-se: “Pensei que estaria morta. Fui para a sala pós parto, desesperada, sozinha, até que eu finalmente escutei uns resmungos, era minha pequena. Ela estava sendo entubada, e estavam procurando uma vaga de UTI neonatal mais próxima”.
Maria Eduarda foi levada para a UTI Neonatal de Curitibanos. Segundo a mãe, os próprios médicos duvidavam se ela conseguiria resistir. Teve anemia, ancilostomíase (amarelão), tomou sangue, fez banho de luz e usou sonda. “Após 19 dias na UTI, subimos para o quarto e somente neste momento que fui pegar minha filha, trocar, dar banho, dar mama. E após 34 dias ganhamos alta”.
A família ainda não descobriu que doença Maria possui. Apesar dos exames, nada foi comprovado. “Fez vários exames, mas nenhum deles dizem o que realmente ela tem e porque ela sofreu tanto assim. Supostamente, os médico da UTI falaram que ela pode ter uma síndrome, Pierre Robin. Dificuldades de sugar, respirar e engolir. Queixo curto, perda da audição e outras centenas de fatores. Ela teve a dificuldades de respirar e engolir, sugar. Teve perda de audição, porém não totalmente”
A mãe ressalta os avanços que a filha vem tendo com o apoio da APAE de Videira. “Ela está muito evoluída perto do que nasceu, mudou muito. Usa aparelho de audição, sobre sugar espirar e engolir, ela tem pouca dificuldade. Nos pezinhos dela usamos gesso, fizemos cirurgia e agora esta usando botinha. Ela faz acompanhamento na APAE desde os dois meses com fonoaudióloga, fisioterapeuta. Hoje posso dizer que a Duda é uma guerreira e tanto! Lutou muito para sobreviver. Logo em seguida descobrimos que ela tem o quadril fora, luxação. E precisa fazer a cirurgia. Por isso estamos arrecadando dinheiro na vaquinha”
Além da cirurgia no quadril, a Duda precisa diariamente de remédios e tratamentos. O dinheiro da vaquinha deve auxiliar para isso.
 
Para ajudar
Contato pelo WhatsApp no número (49) 9 9929-6695 
Conta Corrente: 28.418-1
Agência: 3037
Banco: Sicoob
Gelson Antônio Cocença
Link da vaquinha: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/todos-pela-duda-thayna-custodio-cocenca

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Senai abre inscrições para cursos técnicos e de graduação gratuitos
Bandas de Caçador se apresentarão no Tchô Rock 2018
Mutirão de Conciliação deve atender mais de 1200 processos em Caçador
Semana Internacional da Educação com palestras sobre intercâmbio
Cresol inaugura unidade em Caçador
Rodas de Conversa no curso de Psicologia da UNIARP
Menino de cinco anos realiza sonho de conhecer a Guarda Municipal
Ação de limpeza das margens do Rio do Peixe será realizada em novembro
Espetáculo “Dança a História de Caçador
Mais 5 smartphones do IPTU Premiado serão sorteados em novembro