Projeto voluntário arrecada recursos em prol de animais de rua

O projeto ajuda também famílias que adotaram animais, mas não tem condições de custear todos os cuidados necessários

O ano todo não é fácil para as ONGs e projetos de proteção animal: a grana é curta, os abandonos são muitos, as necessidades imensas. Os abandonos aumentaram, resultando em muitos animais que não sabem se virar nas ruas. Eles são atropelados, machucados, e precisam de ainda mais cuidados. Pensando em uma forma de ‘mudar o mundo’, a jovem caçadorense Valkiria Preveda criou o projeto intitulado “Dudu e Thomas”. O projeto tem por objetivo ajudar animais de ruas com necessidades básicas, além de contribuir com famílias que adotaram, mas não tem condições de custear todos os cuidados necessários.
“Há muito tempo atrás eu já havia pensado em começar um projeto em prol aos animais de rua, entretanto não sabia como fazê-lo. Então o Thomas, meu gato, entrou na minha vida. Ele havia sido abandonado em um terreno”, conta Valkiria.
O nome do projeto, ‘Dudu e Thomas’, vem dos dois animaizinhos, um gato e um cachorro, que lhe inspiraram a ajudar animais. “Todos que tem animais de estimação sabem que eles necessitam de cuidados e com o Dudu não é diferente, por conta da greve o financeiro de todos foi abalado e o Dudu necessitava urgente de um banho e tosa”. Então, Valkiria através de um perfil no Instagram conseguiu arrecadar fundos voluntários para o banho e tosa de Dudu.


“Há uns três meses atrás eu havia fundado a Consumo Sustentável junto com dois amigos, uma loja que visa à troca, venda e compra divulgação de serviços e até mesmo ajuda emocional para os que nos seguem. Foi através deste perfil que consegui arrecadar os recursos”, explica.
Vendo que era possível ajudar outros animais da mesma forma, Valkiria criou então o perfil exclusivo para o projeto: @projetodt.
Valkiria passou pelos piores estágios da Depressão,. O gato Thomas, foi peça fundamental para que ela superasse essa fase e desse continuidade. “A atitude de outras pessoas contribuírem com o Dudu me emocionou, pois por conta da doença que eu sofro é difícil acreditar no ser humano. Eu tenho Depressão e já enfrentei os piores estágios dela e quem me salvou foi o Thomas, meu gato. Comovi-me muito com tudo que aconteceu e ver a felicidade dos animais me deixaram motivada a dar continuidade no projeto.


Os próximos passos do projeto consiste em buscar parceiros e seguir com ações voluntárias. “Por hora penso em ações voluntárias mesmo, ainda quero encontrar parceiros nessa caminhada como Pets Shop, entre outros lugares que possam oferecer alguma assistência aos animais. Quero mostrar a todos que a humanidade ainda tem um resquício de bondade e empatia e eu acredito nela, por isso não há melhor canal do que os animais pois eles são a forma mais pura de amor”.
 
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Senai abre inscrições para cursos técnicos e de graduação gratuitos
Bandas de Caçador se apresentarão no Tchô Rock 2018
Mutirão de Conciliação deve atender mais de 1200 processos em Caçador
Semana Internacional da Educação com palestras sobre intercâmbio
Rodas de Conversa no curso de Psicologia da UNIARP
Cresol inaugura unidade em Caçador
Ação de limpeza das margens do Rio do Peixe será realizada em novembro
Menino de cinco anos realiza sonho de conhecer a Guarda Municipal
Mais 5 smartphones do IPTU Premiado serão sorteados em novembro
Espetáculo “Dança a História de Caçador